Religião e luta: MST confirma presença nas celebrações do Senhor do Bonfim em Salvador

Assim como o MST, vários movimentos sociais na Bahia já se organizam para participar das atividades em protesto e resistência ao golpe de estado.

today8 de janeiro de 2018

 

Do Voz do Movimento
Foto: Divulgação

Mais de mil trabalhadores Sem Terra participarão de uma das maiores celebrações religiosas que acontecem em Salvador: a Lavagem do Bonfim.

A celebração, que acontece nesta quinta-feira (11), a partir das 7h, faz parte da programação do 30º Encontro Estadual do MST na Bahia que começa nesta quarta-feira (10) e segue até domingo (14), no Centro de Treinamento da Secretaria de Desenvolvimento Rural (CTN-SDR), em Itapuã, Salvador.

Confira a programação completa AQUI.

Marcada pelo cortejo puxado pelas baianas da Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Praia, o qual segue a pé até o alto do Bonfim, para lavar com vassouras e água de cheiro as escadarias e o átrio da Igreja do Nosso Senhor do Bonfim, a lavagem será um momento de integração, comemoração e unidade.

“Religiosidade, integração, fé e democracia. Essas são algumas palavras que ilustram a importância do MST participar deste grande evento que pretende aglutinar trabalhadores e trabalhadoras da Bahia ligados a diversos movimentos sociais do campo e da cidade. Nossa participação é para reafirmar a luta pela terra e apontar a Reforma Agrária Popular como um instrumento importante de diálogo permanente em torno da luta por alimentos saudáveis; na defesa de nossa democracia; nas conquistas de direitos; e, principalmente, na construção de nossa dignidade enquanto classe”, explica Elizabeth Rocha, da direção nacional do MST.

O Movimento tem contribuído nas edições anteriores da Lavagem do Senhor do Bonfim, porém este ano, a partir de uma participação massiva, pretende-se intensificar os debates em torno da construção da Reforma Agrária Popular e as denúncias dos retrocessos e impactos do governo Temer na vida das famílias Sem Terra.

Resistência ao golpe

Assim como o MST, vários movimentos sociais na Bahia já se organizam para participar das atividades em protesto e resistência ao golpe de estado. A proposta é que se intensifique as articulações para a formação de um movimento unificado que participe dos festejos de verão em Salvador, com muita luta e resistência, respeitando, é claro, os rituais religiosos presentes nas festividades baianas.