Projeto “Ser e Aprender” trabalha formação com as crianças Sem Terra no extremo sul da Bahia

Todas as terças e quintas-feiras o projeto é executado no galpão do assentamento, com a realização de rodas de conversa, brincadeiras, teatro, música, pintura e dança.

today29 de novembro de 2017

 

Do Voz do Movimento

“Sou Sem Terrinha do MST/
Acordo todo dia para lutar você vai ver/
Luto por escola saúde e educação/
Esse meu direito eu não abro mão”.

Impulsionados pela premissa, de que a educação do campo é um direito e o protagonismo da infância Sem Terra é fundamental para construção de novos sujeitos lutadores, o Assentamento Irmã Dorothy, localizado na cidade de Eunápolis, no extremo sul da Bahia, iniciou o projeto “Ser e Aprender”.

As atividades do projeto, que propõe trabalhar a formação política baseada numa pedagogia Freiriana, ressaltam que além da terra, os pequenos camponeses precisam ser construtores da transformação social e para isso, a formação ideológica e a identidade Sem Terra são essenciais.

Maria de Fátima, do setor de formação da área, explica o papel emancipatório que o projeto possui. “Ao trabalhar temas que fazem parte do dia a dia de nossas crianças, estamos fortalecendo nossa identidade camponesa”, explica.

Todas as terças e quintas-feiras o projeto é executado no galpão do assentamento, com a realização de rodas de conversa, brincadeiras, teatro, música, pintura e dança.

“É muito bom saber que temos um momento de conversa com nossos amigos sobre o ser Sem Terrinha, brincando e compartilhando a leitura. Hoje a leitura faz parte de minha vida. Todos os dias eu fico ansiosa para compartilha com os demais a leitura da semana e entender com se dá a organização. Isso me deixa cada dia mais feliz”, conta Ana Eduarda, de apenas 10 anos.