Grupo da Zâmbia passa pela Bahia e realiza intercâmbio agroecológico

O grupo fica no estado até o dia 09 de dezembro e a partir desta quarta-feira (6), será deslocado para Salvador.

today5 de dezembro de 2017

 

Do Voz do Movimento

A construção da agroecologia nas áreas de assentamentos e acampamentos do MST no extremo sul da Bahia, foi escolhida como referência para realização de intercâmbio com cinco trabalhadores da Zâmbia, ligados ao Partido Socialista do país.

Os zambianos chegaram à Bahia no último dia 19, desde então, têm conhecido as experiências em torno da organização das famílias e o processo produtivo dos assentamentos Irmã Dorothy, Paulo Kageyama, Adão Preto, Antônio Araújo, Pau Brasil, Bela Manhã, 1º de Abril, Edith Xavier, José Martí e o Jaci Rocha. Nesse último está localizada a Escola Popular de Agroecologia e Agrofloresta Egídio Brunetto.

Feliz em receber o grupo para o intercâmbio, a coordenação da Escola Popular enfatiza a importância dessa troca de saberes, tendo em vista que os manejos produtivos da escola têm ganhado proporções internacionais e garantido a prática de métodos com base agroecológica em sua própria estrutura.

A visita faz parte de um processo político na Zâmbia, que visa olhar às experiências agrárias no Brasil para implementar políticas públicas de agricultura e contribuir na organização das famílias camponesas no país.

Gloria Kaluwe, integrante do intercâmbio, ficou impressionada com a organização das mulheres do MST, principalmente, no que diz respeito a luta contra os latifúndios e as grandes indústrias que tem se apossado dos territórios na região. “Na Zâmbia, nós mulheres somos reprimidas pelos homens, pois é um país totalmente machistas. As mulheres de lá precisavam conviver como as mulheres do MST para fazer a revolução”.

“Tenho certeza que tudo que vivenciamos aqui no Brasil, será uma grande ferramenta para construção de um novo olhar para a Zâmbia”, afirma Kaluwe e continua, “estamos levando elementos sobre a organização das famílias no campo, sobre a formação das mulheres, mesmo sendo uma realidade totalmente diferente, e sobre o modo de produção agroecológico”.

O intercâmbio continua

O grupo fica no estado até o dia 09 de dezembro e a partir desta quarta-feira (6), será deslocado para Salvador, com o objetivo de conhecer a relação do MST com outros movimentos sociais e a luta antirracista.